Changing Plain Jane

Este blog é sobre beleza, vida saudável e lifestyle. Tenho um interesse especial em beleza sem químicos nocivos.

This blog is about beauty, healthy life and lifestyles. I have a special interest in Green Beauty.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Style2Beauty: Passatempo Fruut by Amostras e Passatempos & Style...

Style2Beauty: Passatempo Fruut by Amostras e Passatempos & Style...:       Há um novo passatempo, em parceria com o blog Amostras e Passatempos, no ar!!! A pensar na vossa saúde, os 2 blogs justaram-se para vos oferecer 2 packs bem nutritivos e saudáveis da Fruut... A marca Fruut é portuguesa e já foi distinguida, em 2013, com o Prémio Inovação da Nutrition Awards. Vejam tudo em http://amostras-passatempos.blogspot.pt/2014/01/passatempo-fruut-by-style2beauty.html ou percorram este artigo até ao fim, onde encontrarão o passatempo transcrito... depois, partilhem com os vossos amigos! Não deixem de participar neste passatempo 100% português e invistam na vossa saúde!







Já ouviram falar da Fruut? De certeza que sim! 
É uma marca de snacks saudáveis e divertidos!
 
Os snacks Fruut são 100% naturais, sem adição de açúcar, corantes ou conservantes. Saborosas fatias crocantes de fruta Portuguesa, ideais para desfrutar entre refeições ou como aperitivo.
Para saberes mais, entra no mundo Fruut, onde podes ficar a conhecer o pomar, o processo de produção ou ainda a loja online, tudo em http://fruut.pt/!




http://style2beautyblog.blogspot.pt/2014/01/passatempo-fruut-by-amostras-e.html

Passatempo http://oblogdamalaika.blogspot.pt/2014/01/frubis-o-snack-de-fruta-saudavel.html

Frubis o snack de fruta saudável - Passatempo

Frubis tem-se destacado cada vez mais no mundo dos snacks de fruta saudáveis!
Tive a oportunidade de provar os 4 sabores -maçã, morango, pêssego e ananás- e como gosto muito de fruta fiquei fã de todos^^ 
Destas 4 variedades a que mais me surpreendeu foi a de morango..isto porque a demorango -ao contrário dos outros que são cortados em tiras- não está em pedaços..são morangos inteiros!! 
E com um gosto mesmo docinho -nham- de nos lambuzarmos os beiços!
Todas elas são deliciosamente crocantes e cada uma com a sua particularidade!

http://oblogdamalaika.blogspot.pt/2014/01/frubis-o-snack-de-fruta-saudavel.html

APRENDA A QUESTIONAR AS SUAS EMOÇÕES

As emoções são o pulsar da vida, são o fim último de qualquer comportamento. Vamos ao cinema para sentir emoções, vamos ao parque de diversões para sentir emoções, ouvimos música para sentir emoções. Por vezes, reagimos desadequadamente e perdemos a cabeça devido ao disparo exacerbado e descontrolado das nossas emoções. Para o bom e para o mau, as emoções estão sempre na base e no topo dos nossos comportamentos. O que leva muitas das vezes a tomarmos ações precipitadas ou a arrependermo-nos de alguns dos nossos comportamentos é o fato de ser muito difícil decifrar as emoções e não termos consciência momento a momento o quanto nos condicionam. Você está a sentir raiva ou inveja? Você está ansioso ou animado? Aprender a decifrar as nossas emoções e a tomar consciência do quanto influenciam a mudança dos nossos estados internos é primordial para o nosso equilíbrio emocional. A forma de aprender este processo é questionando as emoções e sentimentos.

QUESTIONE AS SUAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS

Um dos primeiros pilares da inteligência emocional é a autoconsciência. Este é o processo decompreender melhor os seus sentimentos através da auto-observação e autoinvestigação. Este processo é realizado através da observação das nossas emoções a partir de um ponto de vista objetivo, e em seguida, tentar perceber o que as está causando e o quanto estão influenciando as nossas ações. As emoções orientam o comportamento humano. As emoções são informação, são uma forma de conhecimento que possuímos, muitas vezes breves, intuitivas, impulsivas e em reação ao nosso meio ambiente e, assim, elas podem ser propensas a erros. Devido a isso, os seus sentimentos podem ser enganosos se reagir sempre a eles, sem os questionar. Em determinados momentos, é boa ideia dar um passo atrás e questionar os seus sentimentos antes de escolher a melhor forma de responder-lhes. Aprofundei este assunto no artigo, Deixe de reagir: Escolha a sua resposta em consciência afirmando quem você quer ser.
No nosso dia a dia somos invadidos por imensos gatilhos que nos alteram o nosso estado de humor e consequentemente fazem disparar emoções em reação a esse estado. Se o estado que experienciamos é negativo e exacerbado, o mais provável é que influencie a nossa forma de pensar. Se essa forma de pensar momentânea é muito diferente do habitual, certamente iremos comportar-nos de uma forma que posteriormente pode comprovar-se como prejudicial e inadequada. Este é um exemplo da ampla influência das emoções e porque devemos questionar os nossos sentimentos. Você pode estar num estado de mau humor, por algum motivo aleatório, como ficar preso no trânsito ou por ter derramado café na sua camisa, e em seguida, o seu humor vai influenciar negativamente a sua impressão acerca de alguém. Racionalmente, você sabe que as duas coisas não têm nada a ver uma com a outra, mas inconscientemente a sua mente faz a ligação entre os seus sentimentos atuais e da outra pessoa. Quando você desenvolver uma melhor compreensão acerca dos seus sentimentos e de onde eles vêm, passará a não cometer equívocos como os do exemplo anterior.
emoções
Apresento algumas linhas orientadoras para você praticar o questionamento das suas emoções:
  • O que estou sentindo? Não basta dizer que você se sente “bem” ou “mal”  deverá ser específico. É tristeza ou raiva ou decepção? Tente o seu melhor para encontrar uma ou duas palavras que melhor descrevam o seu sentimento.
  • Quando foi a primeira vez que eu reparei nesse sentimento? Há quanto tempo o sentimento vem acontecendo? Apareceu há pouco tempo, ou foi aparecendo ao longo do tempo?
  • Qual é a principal causa desse sentimento? Tente pensar que acontecimento da sua vida o levou a sentir-se dessa forma. Existe alguma coisa que aconteceu que se destaque de todas as outras habituais?
  • Quais são as possíveis causas secundárias desse sentimento? Quais são alguns outros fatores que podem estar contribuindo para essa emoção? Existem várias “pequenas coisas” que se podem ir acumulando ao longo do dia ou dos dias?
  • Estou cansado ou stressado? Muitas vezes o stress e a fadiga geral podem amplificar as nossas emoções. Por exemplo, os problemas de insónia ou excesso de trabalho pode conduzir a pessoa a aumentar a irritabilidade, a tensão e a confusão.
  • Como devo responder a esse sentimento? Qual é o melhor curso de ação a ser tomado em resposta a essa emoção? Você deve falar com alguém, ouvir música, fazer uma caminhada, fazer algo produtivo, tirar um tempo para refletir?
  • Devo apenas esperar que essa sensação passe? Só porque você sente algo não significa que precisa agir de imediato sobre esse sentimento. Às vezes é melhor apenas “deixar ir” uma emoção até que ela desapareça. Os nossos sentimentos são temporários, eles não duram para sempre.
As pessoas que conseguem “trabalhar” na conexão entre o pensamento e os sentimentos, quando percebem a interrelação entre o pensar e o sentir, desenvolvem uma elevada consciência emocional. Isto porque a nossa capacidade de pensar sobre os nossos sentimentos ajuda a criar um amortecedor entre as nossas emoções e consequentes respostas, de modo a que possamos deixar de agir impulsivamente o tempo todo. O simples ato de pensar e questionar os nossos sentimentos ajuda a separar-nos do “calor do momento.” Quanto mais você questionar os seus sentimentos, mais pode controlá-los, em vez de deixar que tomem o controle.
Enquanto eu me questionar,
Enquanto eu tiver capacidade de me olhar de fora, de me distanciar de mim mesmo, eu continuarei a crescer, progredir e evoluir,
Enquanto eu tiver a capacidade de me arrepender,
De perceber que eu erro, que falho,
Enquanto eu me questionar acerca das minhas decisões,
Haverá chances de aumentar a minha sensibilidade,
Haverá chances de escrever uma nova história,
Haverá chances de pedir perdão,
Questionar-me faz emergir em mim a minha humanidade,
Questionar-me, enaltece-me, faz-me acrescentar valor, faz perceber-me melhor, para que possa também perceber os outros,
Questionar-me faz-me ficar mais próximo dos que amo, daqueles com quem me cruzo, dos meus amigos, do chefe no trabalho, do condutor enfurecido, do desespero do desempregado, da aflição da mãe que aconchega o filho,
Questiono-me uma e outra vez, não por ter dúvidas, mas para ponderar caminhos,
Caminhos que questiono se devo desbravar, se devo embranhar-me neles,
Caminhos que passo a saber que percorri,
Caminhos que reconheço que outros estão a percorrer,
Por vezes caminhos sombrios, catastróficos,
Caminhos de revolta, de sofrimento, de frustração, de dor, de exaustão,
Que caminhos são esses que questionei ter escolhido? Que caminhos são esses que percorro?
São os caminhos, que por vezes, percebo que me levam a criticar os outros que os estão a percorrer,
Questiono-me e percebo que os meus caminhos são iguais a tantos caminhos que os outros escolhem, talvez sem se questionarem,
Questiono-me e aprendo, aprendo que errar é humano, mas que quando expresso a minha humanidade de me questionar o erro transforma-se em valor,
Um valor de me olhar como um ser errante, igual a tantos outros seres errantes,
Questionar-me aumenta a autocompaixão, aumenta a minha empatia pelos outros,
Fiquei consciente que os meus questionamentos suportam as minhas decisões e,
Quando essas decisões me conduzem a lugares que me prejudicam ou prejudicam os outros,
O ato de me ir questionando, torna-me suficientemente consciente para me enriquecer com a experiência,
E na minha imperfeição, continuo a questionar-me, não para ser perfeito, mas para fazer as coisas na perfeição.
- Miguel Lucas
http://www.escolapsicologia.com/aprenda-a-questionar-as-suas-emocoes

domingo, 19 de janeiro de 2014

9 HÁBITOS TÓXICOS QUE ANIQUILAM A SUA MOTIVAÇÃO

A motivação gera-nos grande impulso para a ação face aos objetivos que pretendemos alcançar ou sonhos que queremos realizar. Quando nos sentimos motivados emerge uma força de vontade enorme que facilita a obtenção do que desejamos. Indubitavelmente a motivação é uma força em ação que promove a realização daquilo que nos é significativos. Mas por vezes, no percurso para sermos bem sucedido deparamo-nos com alguns obstáculos que podem promover alguns maus hábitos que aniquilam a motivação. São hábitos que nos colocam num estado emocional desfavorável, retiram-nos foco, objetividade e promovem o desenvolvimento de crenças disfuncionais. Para nos sentirmos realizados é muito importante termos um enorme impulso face a algo que nos é significativo, mas importa igualmente certificarmo-nos que alguns dos nossos comportamentos não se viram contra nós mesmos.


Apresento 9 hábitos tóxicos que fazem diminuir a sua motivação: 

1. VOCÊ DESEJA SER PERFEITO

Perseguir a perfeição é a maneira mais rápida de aniquilar a sua motivação. Se você evita começar algo ou não se propõe a algum desafio ou projeto porque julga não conseguir realizar a tarefa na perfeição, certamente gerou a crença disfuncional de que tem de ser perfeito em tudo o que faz. O seu perfeccionismo transformou-se num obstáculo à sua motivação. Você desenvolveu um pensamento de tudo ou nada. Ou faz na perfeição ou não vale a pena fazer. O que pode prejudicá-lo sempre que você não se perceciona vir a ser totalmente eficaz ou a realizar algo na perfeição. Da próxima vez que você estiver trabalhando num projeto, diga a si mesmo que está no processo de melhoramento. Que o que está a realizar não é algo acabado, e que pode ser melhorado à medida que vai avançando. Isto permite que se proponha a iniciar aquilo no qual poderá ter ficado paralisado. Ter algo feito é melhor do que nunca iniciar nada.

2. VOCÊ COMPARA-SE AOS OUTROS

Estar constantemente a comparar-se aos outros pode ser uma das maneiras mais fáceis de perder a motivação. Quando nos comparamos aos outros (aqueles que têm mais ou obtém melhores resulsados que nós) e isso faz disparar autoavaliações negativas, conduzindo-nos a um diálogo autocrítico negativo, tendemos a diminuir os nossos níveis de energia e a aumentar a descrença nas nossas capacidades, habilidades ou esforços. Quando nos comparamos por defeito, por estarmos “abaixo” dos outros, no retorno, podemos ter a perceção de uma grande discrepância entre o que os outros estão a alcançar e aquilo que nós não estamos a conseguir, levando-nos a desistir. Foque-se naquilo que julga conseguir realizar, e se percecionar que não está a obter o que deseja, oriente a sua atenção para estratégias que possam aumentar a probabilidade de ser bem sucedido.

3. VOCÊ NÃO ACREDITA EM VOCÊ MESMO

Se você não acreditar em você mesmo, quem o fará? Pare de perder tempo e energia botando-se para baixo. Da próxima vez que você se estiver sentindo para baixo, force-se a pensar em alguma coisa que você faz bem. Foque a sua atenção nas suas forças, naquilo que são as suas habilidades. Se tiver dúvidas, pergunte a um amigo chegado. Não faças avaliações do seu valor baseando-se apenas em filtros negativos. Ou seja, não olhe apenas para aquilo que não conseguiu realizar ou atingir. Recorde dos seus feitos, mesmo que sejam coisas insignificantes. Foque a sua atenção naquilo que é positivo, e se mesmo assim não for suficientemente positivo, trabalhe naquilo que pode melhorar. Deixe de se vitimizar. Faça o que pode fazer.

4. VOCÊ ESPERA DEMASIADO NAS SUAS AÇÕES

A melhor maneira de promover o sucesso nas suas ações e comportamentos é executando passo a passo, pouco a pouco. Concentre-se nas tarefas que você deseja concluir. Você pode olhar para o grande objetivo, mas deve focar as suas energias nas pequenas coisas, para que as pequenas coisas se transforme em grande coisas.

5. VOCÊ NÃO ESTABELECE OBJETIVOS CLAROS

Se você não tem metas, você não irá promover a sua motivação porque não sabe para onde está indo. Você precisa descobrir onde você quer ir e , em seguida, empenhar todos os seus esforços, energia e dedicação nos seus objetivos. Se você não sabe por onde caminhar, pode ir ter a um lugar que não deseja. Não ter metas é como tentar encontrar um novo restaurante sem um endereço. Você pode ter sorte de vez em quando, mas certamente vai ficar deambulando a maior parte do tempo.

6. VOCÊ NÃO ENCORAJA A SI MESMO

Se você não se incentiva a si mesmo, está a dar um tiro nos seus próprios pés. Construa o seu alfabeto motivacional. Formule um conjunto de palavras, imagens mentais, gestos, músicas, ou qualquer coisa que possa funcionar como um gatilho que faça disparar em você mesmo uma vontade enorme para a realização dos seus objetivos. Ao encontrar uma maneira de encorajar a si mesmo você vai sentir-se mais recompensado e motivado. Lembre-se, trate-se da mesma maneira que você espera que os outros o tratem.

7. VOCÊ NÃO CUIDA DE SI MESMO

Uma das formas primárias mas primordiais é o descanso. Se você não descansa devidamente, se não recupera do seu esforço do dia a dia, certamente irá ver a sua motivação afetada. A motivaçãofaz uso da nossa energia disponível, e é negativamente afetada quando andamos exaustos. Certifique-se que agenda devidamente e intencionalmente a sua recuperação e energização. Dedique algum do seu tempo ao lazer e a atividades relaxantes que você gosta de realizar.

8. VOCÊ DEIXOU DE SER CRIATIVO

Você precisa alimentar a sua motivação com novas ideias. Se você entra num estado rotineiro de pensar e fazer sempre as mesmas coisas, o ânimo, curiosidade e criatividade tendem a cristalizar-se. Mantenha a sua mente ativa. Mantenha-se informado dos assuntos que gosta, desenvolva-os, leia, troque opiniões, fale com outras pessoas. O poder criativo que todo nós comportamos é a porta de entrada para novas ideias. Se você desenvolver uma mentalidade de melhoria e de desenvolvimento pessoal, a sua mente manter-se-á ativa, aumentando a probabilidade de surgirem novas ideias e você sentir-se mais motivado.

9. VOCÊ PERDE O FOCO DAS SUAS PRIORIDADES

Se você persegue um determinado objetivo e existem distrações, vícios ou comportamentos parasitas que interferem com o seu foco prioritário, é importante trabalhar na sua autodisciplina. Esforce-se para realizar uma lista das principais distrações que você tem que o impedem de realizar o que mais importa. Ganhe consciência daquilo que o afasta dos seus objetivos. Depois devolva o poder a você mesmo. Organize o seu tempo. Não tem de deixar de fazer algumas das coisas que servem de escape da sua vida. O que tem de fazer é organizar-se e decidir os momentos que pretende dispensar a cada uma dessas atividades.
http://www.escolapsicologia.com/9-habitos-toxicos-que-aniquilam-a-sua-motivacao 

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Maquillage des femmes aveugles et malvoyantes

Achei este video espectacular, no sentido que indica como se maquilharem as mulheres que vêm mal ou são cegas .

domingo, 12 de janeiro de 2014

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

10 estratégias de otimismo para 2014

Os otimistas vivem mais e com melhor qualidade de vida. Nada como começar a encher o ano novo de atitudes positivas, desde cedo. Deixamos-lhe algumas ideias que podem fazer a diferença.



Algumas atitudes positivas para 2014 podem ajudá-la a superar momentos de stresse físico e emocional mais facilmente e a melhorar a sua qualidade de vida e sentido de realização. Afinal, ser feliz é uma escolha que também depende de nós.
Pratique a gratidão. Agradecer aos outros, a um poder superior, até a nós próprios, ajuda-nos a focar no que de bom nos acontece e a retirar o melhor da vida, em vez de remoermos nos aspetos menos bons da vida. Escreva um postal, um email, deixe bilhete na secretária de alguém que lhe fez bem nos últimos tempos. Faça uma lista de tudo aquilo pelo qual se sente grata e que lhe aconteceu em 2013. 
- Passe mais tempo lá fora: Em contacto com a natureza, não com o monóxido de carbono. Mas 15 ou 20 minutos de sol numa esplanada já são suficientes para pôr o seu corpo a produzir vitamina D, que os cientistas acreditam influenciar os níveis de serotonina, o neurotransmissor responsável pelas sensações de bem-estar e com um papel importante na regulação do humor. 
- Passe mais tempo com as crianças. Se não tiver filhos, reclame mais tempo com os sobrinhos, os afilhados, os irmãos mais novos, os filhos dos seus melhores amigos. As crianças têm a capacidade de nos lembrar que já fomos como elas e de reabilitar sorrisos que julgavamos coxos ou perdidos. Além disso, têm quase sempre visões muito mais inteligentes, simples e criativas sobre a vida. 
- Livre-se das pessoas tóxicas. Esta é uma daquelas clássicas decisões de ano novo que raramente levamos em frente, até porque muitas vezes não temos como. Podemos não conseguir afastar um chefe tóxico ou um familiar que nos drena as energias, mas podemos escolher se nos vamos deixar afetar por eles e, em último caso, reduzir o tempo que passamos com pessoas que só nos drenam as energias e nos puxam para baixo. Rodeie-se, sim, de quem a inspira e incentiva a ir mais longe, a cuidar de si, de gente cuja companhia lhe dá prazer. 
- Tire tempo para meditar: a meditação pode fazer maravilhas por si, a combater o stress, a baixar a tensão arterial, a encontrar o foco, mais paz e concentração.
- Cante e dance, que a vida são dois dias. O ditado "quem canta seus males espanta" tem mais de verdade científica do que poderiamos supor.  Vários estudos provam como cantar e dançar ao som das nossas músicas preferidas podem ser formas bem eficazes, instantâneas e grátis de melhorar o humor.
Um estudo sueco seguiu 112 raparigas com problemas de ansiedade, stresse, depressão e dores nas costas e pescoço. Metade frequentou aulas de dança semanais e, como seria de esperar, melhorou bastante a sua saúde mental, registou mudanças positivas no humor e viu esses efeitos prolongarem-se durante oito meses após o fim das lições. 
Perdoe. É mais fácil dizê-lo do que seguir o conselho, até porque há coisas para as quais talvez não exista perdão. Mas fazer as pazes com o passado para não afetar o presente é uma das estratégias mais importantes dos otimistas. Reviver constantemente desgostos e rancores passados é o equivalente a subir uma montanha com uma mochila de pedras às costas. É preciso deixar o lastro pelo caminho para seguirmos viagem mais leves e mais depressa. 
- Leia mais: Exercita a imaginação, a memória, a cognição, relaxa corpo e mente, abre-nos um admirável mundo novo a cada página, inspira-nos, faz-nos viajar sem sair do sítio, mas ainda pode ajudar a prevenir o declínio cognitivo de doenças como o Alzheimer e até ajudar-nos a dormir melhor. Os livros podem tornar-se excelentes companheiros em 2014.
- Desligue-se de vez em quando.  A vida é lá fora! Escolha um dia por semana, por mês, e desligue-se da tomada. Dê folga às redes sociais, à Internet, ao telefone, nem que seja por algumas horas. Algumas pesquisas sociológicas recentes revelaram que passar demasiado tempo ligado às redes sociais pode fazer-nos sentir mais solitários e deprimidos. 
- Ria mais: Deixe o disparate tomar conta, de vez em quando. Ria-se de si própria, não se leve demasiado a sério. Dê umas boas gargalhadas por dia, até porque estará a fortalecer o sistema imunitário (o stresse deita-o a baixo e o riso é o melhor antídoto para o stresse), a aumentar a circulação sanguínea e a melhorar a função vascular. Além disso, o seu cérebro produzir mais endorfinas, neuroquímicos com propriedades de alívio da dor e que trazem sensações de bem-estar físico. 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

ESTRATÉGIAS PARA DESENVOLVER NOVOS HÁBITOS

Aprendemos maioritariamente pela repetição, essa repetição torna-se num hábito, e esse hábito facilita-nos a vida. Como vivemos num mundo em constante mudança e, como nós somos forçados a mudar pelas condicionantes da vida, alguns dos hábitos adquiridos podem perder a sua função adaptativa e funcional. Alguns dos nossos hábitos ficam desatualizados perante as novas circunstâncias ao ponto de se tornarem prejudiciais. Quando isso acontece é necessário desenvolver novos hábitos.
Os hábitos são difíceis de mudar, especialmente no início. Alguns hábitos são mais profundamente enraizados do que outros, e desses, alguns tornam-se em maus hábitos. Quando pretendemos, por exemplo, adotar uma nova rotina, torna-se primordial despender alguma energia extra em primeiro lugar, simplesmente porque precisamos sair do modo de piloto automático e prestar mais atenção ao que se faz. Os nossos cérebros naturalmente preferem “a rotina usual”, isto acontece em prol da eficácia e do menor gasto de energia. Fazer algo de forma automática ou rotineira deixa-nos libertos para nos dedicarmos a outras coisas. Temos um forte impulso para fazermos o que sempre fizemos, o que prejudica o desenvolvimento de novos hábitos.
É preciso uma enorme dose de motivação pessoal, a fim de fazer uma mudança e implementá-la eficazmente a longo prazo. Proponho que tome um momento para responder às perguntas que se seguem com o objetivo de esclarecer para si mesmo, como a mudança a que se propõe pode alterar sua vida. Anote alguns exemplos para cada uma das suas respostas.
  1. Será que vou passar a sentir-me melhor comigo mesmo?
  2. Isto vai levar a um aumento do sofrimento ou aumento da felicidade, para mim e para os outros?
  3. Qual é o desejo mais profundo do meu coração? O que é de maior valor ou prioridade para mim?
  4. Será que vai melhorar a minha qualidade de vida?
  5. Será que a minha saúde física irá ser melhorada?
  6. Os outros vão beneficiar?
Quanto mais detalhes você puder fornecer, melhor, pois isso irá ajudá-lo a construir uma imagem mais nítida de uma vida mais feliz e mais gratificante. As chances de acertar um alvo aumentam quando você aponta para ele. Então, se você estiver convencido de que esse novo hábito será benéfico, coloque as etapas seguintes em ação:

1 – DIVIDA O OBJETIVO EM PEQUENAS PARTES

Por exemplo, se o seu objetivo é voltar a estudar, faça uma lista descrevendo as ações necessárias para tornar isso real. Então, a cada dia, coloque o seu plano em ação e avance. Mantenha-se focado no presente e vá realizando diariamente as atividades que podem contribuir para seja bem sucedido naquilo a que se propôs.

2 – BAIXE A SUA FASQUIA

Se você tende a ser perfeccionista, provavelmente já experimentou a procrastinação, ou terá sentido uma paralisia nas suas ações. Em vez disso, adote a perspetiva de “bom o suficiente”. Ao invés de esperar até que tenha vontade para estudar uma hora, defina um curto período de tempo, abra o seu livro, e aplique-se plenamente à tarefa em mãos. Quando o período de tempo terminar, você estará um passo mais à frente no caminho do seu objetivo. Provavelmente irá perceber que pode voltar a estudar por um período igual, e assim sucessivamente até que perceba que cumpriu o seu objetivo para esse dia.

3 – CUIDADO COM AS SUAS PALAVRAS

Usar termos como ” tenho que “, ” eu deveria” , ou ” eu devo ” pode fazer-nos sentir um pouco como as crianças ou como se estivéssemos sendo controlados. Se tende a ser punitivo para com você mesmo, como se tivesse uma voz sempre a chamar a sua atenção relativamente ao seu comportamento, substitua as frases apresentadas anteriormente por: “Eu escolho ” e ” eu quero”, esta pequena alteração permite colocá-lo de volta no comando da sua vida. Evite também cair na ilusão da palavra “Não consigo”, especialmente se você a utiliza sempre que se depara com uma dificuldade. Perceba que apesar da dificuldade, certamente você possuí capacidade funcional para realizar as ações necessárias para desenvolver o novo hábito. Então, estando ciente disso, inicialmente substitua a palavra não consigo, por “Não quero”. O que leva a que o desenvolvimento do novo hábito tenha de ser abordado de forma racional, utilizando as palavras, “Eu quero desenvolver o novo hábito” ou “Eu não quero desenvolver o novo hábito”.Leia, Cuidado com as suas palavras: 8 formas de otimizar o seu diálogo interno

4 – TORNE O HÁBITO AGRADÁVEL

Ainda que no início você tenha de realizar algumas coisas que lhe são difíceis ou que não gosta, tente associar-lhe também algumas forma de prazer e/ou gratificação. Por exemplo, se ouvir algumas das suas músicas favoritas como ambiente de fundo não vai distraí-lo da tarefa em mãos, faça-o. A ideia é associar o seu novo hábito com as coisas que você acha pessoalmente gratificantes. Você pode ainda criar uma imagem mental do resultado final do seu novo hábito e associá-lo às tarefas menos agradáveis que tem de realizar, para sair bem sucedido.

5 – RECONHEÇA O SEU PROGRESSO

Dê crédito aquilo que você tem vindo a fazer para implementar o novo hábito. Reconheça o seu próprio esforço e congratule-se por isso. Celebre com os seus amigos, saindo para jantar. Fale de forma encorajadora para você mesmo: “Bom trabalho”. Tenha também uma atitude consoladora para si mesmo, se necessário: “Foi um dia difícil”. Você tem 24 horas por dia para ser o seu principal aliado e motivador na caminhada para o desenvolvimento do seu novo hábito. Apoie-se, incentive-se e reconheça as pequenas vitórias até chegar à vitória final.
A mudança pode ser assustadora, mas no final, as únicas pessoas que falham são aquelas que não tentaram” - David Viscott

http://www.escolapsicologia.com/estrategias-para-desenvolver-novos-habitos

sábado, 4 de janeiro de 2014

Vencedor/a do Passatempo Internacional do 1º Aniversário do Blog/ Winner of the International Giveaway

Olá a todos!

Foi apurado/a o/a vencedor/a do 
Passatempo Internacional do 1º Aniversário do Blog/ International Giveaway, o nome aparece neste link:
http://www.changingplainjane.blogspot.pt/2013/11/passatempo-internacional-do-1.html

E a vencedora é: CATARINA PAULO!

Muitos Parabéns! Enviei-te um email, espero que me contactes para poder enviar-te o prémio.


Hello Everyone!

It was established  the winner of the Giveaway International, the name appears in this link:


And the winner is: CATARINA PAULO!

Congratulations! I sent you an email, to contact me, to send you the prize.

Xoxo
Liliana


Cameron Diaz publica foto sem maquilhagem

A fotografia foi publicada pela atriz na sua conta de Instagram. Cameron aproveitou para promover o seu novo livro, cheio de conselhos de beleza para aumentar a auto-estima feminina.

ACTIVA.PT

Instagram / Cameron Diaz

Talvez seja  um pouco arriscado para uma atriz famosa do que para uma comum mortal, publicar uma foto sem maquilhagem, mas Cameron Diaz, dona de uma beleza muito natural, não se intimida. Contudo, Diaz não é a primeira atriz a correr este risco: Jennifer Aniston também foi uma das atrizes a aparecer au natural nas redes sociais.
Cameron, de 41 anos, publicou uma imagem onde posa para a câmara com uma cópia do seu primeiro livro, 'Body Book', cheio de conselhos de beleza para que as mulheres se sintam bem na sua pele. Por isso, decidiu divulgar a sua fotografia, sem maquilhagem.
Na legenda da imagem pode ler-se: " Um dos meus momentos de mais orgulho na minha vida! Escrevi este livro somente para si e para o seu corpo, e estou muito orgulhosa por partilhá-la com vocês!" A atriz parece empenhada a valorizar a beleza natural, no seu livro especialmente direcionado para as mulheres mais jovens e adolescentes, que privilegiam a perda de peso em detrimento da saúde.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Ultrapassar a tristeza pós-festa

O fim das festas de Natal e Ano Novo pode significar solidão e angústia. Saiba como evitar estes sentimentos e entrar no novo ano com atitude positiva.

ACTIVA.PT

Getty Images/iStockphoto


As ruas deixam de estar iluminadas, as músicas natalícias deixam de tocar, a família e os amigos regressam a casa - que, para muitos fica noutra cidade ou país.  A época natalícia termina e com ela fica a saudade de ter a casa cheia, a família reunida, a àrvore cheia de prendas e as crianças a correr de um lado para o outro. Chega a hora de arrumar as decorações e voltar à rotina do trabalho.
Este carrossel emocial do Natal pode causar uma 'depressão pós-festas', causada por sentimentos de culpa de excessos, de expectativas que não se concretizaram e do retorno à monotonia. A tristeza que se segue ao Natal é uma condição tão comum que até já lhe foi atrubuída uma designação: "post-holiday blues".  Esta fase causa em muitas pessoas irritabilidade, dificuldade de concentração e insónias.
Para ultrapassar este sentimentos devemos recordar que o que torna o Natal uma época tão especial é ser algo que só acontece uma vez por ano. Depois de se divertir com os amigos e experimentar as deliciosas sobremesas da mãe terá que voltar ao trabalho. Assim como depois de uma boa semana de férias tem que voltar à rotina. Faz parte do ciclo da vida e a primeira coisa a fazer é aceitá-lo com naturalidade.
Para contrariar a solidão e a falta da casa cheia tente fazer planos com alguns amigos. Ainda tem o fim-de-semana para combinar um almoço ou uma saída com os amigos que já não vê há muito tempo. O importante é não ficar focada no que já passou e começar a programar os acontecimentos futuros.
Com as festas chegam os exageros, as rabanadas, bolo rei e outras iguarias da época. Mas depois  é tempo de manter um estilo saudável, voltar a uma alimentação equilibrada e praticar exercício. O corpo e mente vão ser beneficiadas com estas práticas e vai sentir-se com mais energia para o próximo ano.
Para ultrapassar esta fase rodeie-se das pessoas que mais gosta. Se está a sentir-se triste ou mais deprimido tente estar com a família, passear ao ar livre e socializar. De nada vale ficar em casa sozinha. O segredo é recuperar um pouco do Natal nos outros 364 dias do ano.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

FREE 4-Week Weight Loss Plan! Here's How to Join: começa a 6/01 aderir rapidamente


http://www.jessicasmithtv.com/join-4-week-weight-loss-workout-challenge/

12 regras a ter em conta antes de comprar nos saldo

Selecionamos as regras de ouro para aproveitar os saldos e fazer investimentos úteis.

A época de saldos começa oficialmente a 28 de dezembro e só termina a 28 fevereiro de 2014. Ao todo, são dois meses de saldos, numa altura em que as lojas antecipam esta época com muitas promoções. Mas para fazer as melhores compras deve ter em conta algumas dicas para gastar menos e comprar artigos realmente úteis.
1- Estabeleça quanto quer gastar. Os saldos são uma tentação, ver peças a um preço mais baixo cria um desejo de compra que muitas vezes se torna irracional. Para não comprar por impulso ou pela simples razão de ver peças a preços mais reduzido, tente limitar o valor que vai gastar e não entre em loucuras.
2- Antes de sair de casa estude o que tem no guarda-roupa. Quando vamos às compras, não abrimos a despensa para saber que está em falta? Com a roupa, o processo é o mesmo. Não vale a pena comprar mais uma saia preta se já tem quatro. Procure analisar as peças que já estão mais gastas ou as aquelas que sempre quis comprar e ainda não teve oportunidade.
3- Invista em peças de qualidade. Esta é altura ideal para fazer bons investimentos. Artigos que são habitualmente caros, como as malas em pele tornam-se mais acessíveis nos saldos. As peças de qualidade acabam por ter uma maior durabilidade e compensar o gasto inicial.
4- Analise a peça antes de a comprar. Muitas vezes, na confusão dos montes de roupa, acabamos por comprar peças sem observar em que estado se encontram. É importante que verifique se não tem qualquer tipo de defeito.
5- Experimente sempre as peças. De nada vale comprar uma saia que está dez vezes mais barata se não lhe serve. As filas para os provadores até podem fazê-la pensar duas vezes ("isto é um 38, há-de servir-me de certeza") Antes de comprar, é essencial experimentar para ver como a peça funciona no seu corpo e se aquele é mesmo o tamanho certo.
6- Pense na próxima estação. Já olhou bem para as montras das lojas? Em pleno inverno os vestidos e blusas têm manga curta e tecidos leves. Ou seja, mesmo nos saldos do inverno pode comprar uma peça para usar na primavera ou no verão.
7- Invista nos clássicos. Há peças intemporais que são sempre escolhas acertadas. Uma camisola de caxemira, um trench coat, um vestido preto ou uma saia lápis são básicos do guarda-roupa feminino que vai ter sempre oportunidade usar. Esta pode ser a ocasião para adquirir estas peças, com qualidade a um preço mais reduzido.
8- Não compre por impulso. De nada vale comprar a grande tendência da estação quando sabe, à partida, que apenas a vai usar uma vez numa saída à noite, com um casaco por cima, para ninguém reparar na sua extravagância.
9- Evite as horas de maior confusão. As manhãs são o período ideal para ir às compras; as lojas estão mais arrumadas, não há tanta confusão e assim pode ver todas as peças de forma calma e sem ser levada naquele stresse de pegar em tudo o que vê.
10- Antecipe ocasiões futuras. Se já foi convidada para um casamento no próximo verão, pode aproveitar a época de saldos para comprar o vestido dos seus sonhos a um preço mais acessível. Também pode tentar comprar algumas prendas, se tiver aniversários próximos.
11- Pense em como conjugar as peças. Quando comprar uma roupa nova lembre-se do que já tem no armário e como pode combiná-la. Se, para usar uma nova peça tem que comprar outra para formar conjunto, vai acabar por gastar mais dinheiro desnecessariamente.
12- Saiba o que se vai usar na próxima estação. Antes de ir às compras, tente descobrir quais as tendências da estação seguinte. Na edição de janeiro da revista Activa desvendamos todas as boas compras para usar na primavera.

FELIZ ANO NOVO 2014| HAPPY NEW YEAR 2014!

DESEJO A TODOS UM FELIZ ANO NOVO 2014 CHEIO DE COISAS BOAS!
WISH YOU ALL A HAPPY NEW YEAR 2014 FULL OF GOOD THINGS!