Changing Plain Jane

Este blog é sobre beleza, vida saudável e lifestyle. Tenho um interesse especial em beleza sem químicos nocivos.

This blog is about beauty, healthy life and lifestyles. I have a special interest in Green Beauty.

terça-feira, 31 de maio de 2016

COMPRINHAS DE MAIO / MAY PURCHASES


Aqui segue a listinha do que comprei neste mês. Três dos produtos que comprei são da marca Yves Rocher que gosto bastante:

- Óleo condicionador para duche - Novo produto para utilizar no duche. Em contacto com o corpo molhado, a textura óleo fundente transforma-se em leite,
deixando a pele nutrida sem acabamento oleoso. Vou experimentá-lo pela primeira vez.

- Banho duche relaxante 200ml - Lavanda & Amora – A Yves Rocher associou o gel de Aloé vera proveniente da agricultura biológica, o óleo essencial de Lavanda e o extrato de Amora. Uma novidade da marca e para mim também.

- Reparador - S.O.S. Retoque zero falhas : a solução especialista que elimina de forma rápida e eficaz os defeitos do verniz para ter sempre a manicure perfeita. Textura fluida como um top coat, é indicado para todo o tipo de defeitos: marcas de tecido, riscos,cortes… Outra novidade da Yves Rocher.

No supermercado do Corte Inglês encontrei a venda esponjas Konjac de uma marca da Polonia para os diversos tipos de pele, optei pela cor de rosa que é para peles cansadas e desvitalizadas por 4,50€. Nunca tinha experimentado este tipo de esponja e fiquei bastante satisfeita com os resultados. Limpa a pele em profundidade sem a irritar. Uso-a sempre que utilizo o meu gel de limpeza com agua, que alterno com balsamos de limpeza ou oleos de limpeza.

0
Here is a short list of what I bought this month. Three of the products I purchase are from the brand Yves Rocher that I really like:
- Oil conditioner Shower - New product for use in the shower. In contact with the wet body, the oil fondant texture is transformed into milk, leaving the skin nourished without a oily finish. I'll try it for the first time.

- Bath relaxing shower 200ml - Lavender & Blackberry - Yves Rocher joined the Aloe vera gel from the organic farming, the essential oil of lavender and Blackberry extract. A new product of this brand.

- S.O.S. Retouching zero failures: a specialist solution that eliminates quickly and effectively nail polish defects to always have a perfect manicure. fluid texture as a top coat, is suitable for all kinds of defects: tissue marks, scratches, cuts ... Another new product of Yves Rocher.

I found in “ Corte Inglês” supermarket some sponges Konjac from a Poland´s brand for different skin types. I chose the pink one that is for tired and devitalized skins for € 4.50. I had never tried this type of sponge and I was quite pleased with the results. Cleans the skin in depth without irritating. I use it whenever I use my cleansing gel with water, which I alternate with cleansing balms or cleansing oils.


Já experimentaram algum destes produtos e o que acham deles?
Have you tried any of theses products and did you like them?

xoxo
LN

Fonte :http://www.yves-rocher.pt/pt-pt

domingo, 29 de maio de 2016

The Makeup Chair Handbook by Sinead Cady


Esta publicação é perfeita para quem quer se iniciar no mundo da maquilhagem. Um manual que cobre todos os aspectos da beleza, desde a preparação da pele à maquilhagem das sobrancelhas. Todos os 10 capítulos são dedicados a um tópico específico relevante para todas as mulheres e no final de cada um dos capítulos, há uma página de notas, para anotar-mos o que é importante para nós. O capítulo 1 é sobre a preparação da pele. O capítulo 2 fala-nos sobre corrigir e rectificar a tez. O capítulo 3 indica-nos os vários tons de pele e a base certa para cada um deles. O capítulo 4 indica-nos a aplicação correta da maquilhagem para cada formato de rosto. O capítulo 5 explica-nos  como iluminar e fazer o contorno do nosso rosto. O capítulo 6 é sobre o tema das sobrancelhas. O capítulo 7 falar-nos sobre os diversos formatos de olhos e como maquilha-los. O capítulo 8 é sobre os lábios e os vários tipos de batons. O capítulo 9 contar-nos tudo sobre os diversos pincéis de maquilhagem. E finalmente, o Capítulo 10 tem vários tutoriais de maquilhagem. É um livro muito completo e simples de compreender, pelo que gosto muito dele. Aconselho a comprar um.


This publication is a perfect to aspiring make up artist. A handbook that covers all aspects of beauty from skin preparation to highlight and contouring skills to defining your eyebrows.  All 10 chapters are dedicated to a specific topic relevant to all women and at the end of each one, there is a note page, for us to take notes about what is important for us. Chapter 1 is all about prepping the skin. Chapter 2 talk about conceal & correct the complexion. Chapter 3 explain the skin´s undertone and the right foundation for each one. Chapter 4  explain the correct aplication of makeup for each face shapes. Chapter 5 tell is how to highligh and contour our face. Chapter 6 is all about eyebrow shaping. Chapter 7 talk about eye shapes and how to apply makeup for the diferent eye shapes. Chapter 8 is about lips and lipstick. Chapter 9 tell us all about brush essentials. And finally Chapter 10 has several makeup tutorials. It´s a very complete and simple makeup handbook. I just love it. It´s a essencial tool for makeup lover´s like me.

Aqui  em baixo segue o link do canal de video relacionado com este livro. 

Bellow is the link of the youtube Channel related to this handbook.


O que acham deste livro? Do you like this handbook?
xoxo
LN


segunda-feira, 23 de maio de 2016

sábado, 21 de maio de 2016

sexta-feira, 20 de maio de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

ESTOU EMOCIONALMENTE PRESA NUMA RELAÇÃO TÓXICA, O QUE POSSO FAZER?

relacão tóxica

Você está querendo saber como romper com alguém que ainda ama? As dicas neste artigo foram criadas em resposta a uma leitora que vive uma relação tóxica, e irão ajudá-lo a saber lidar com isso. Você quer terminar, e apesar da relação já ser um tormento, provavelmente você ainda gosta dessa pessoa, preocupa-se com ela, e não deseja prejudicá-la.
Mas quanto mais tempo você espera para fazer isso, pior a dor será. Há coisas que você pode fazer para tornar este processo um pouco mais fácil para ambos. Acredito que as dicas que apresento mais em baixo poderão ajudá-lo também.

ENQUADRAMENTO DO PROBLEMA DA LEITORA

Boa noite, li um texto no blog e me identifiquei muito com relação à necessidade de mudanças, mas vivo fazendo as mesmas asneiras. Gostaria de uma visão de sua parte, sobre a minha situação de asneira abaixo, na qual não consigo sair e está empatando as demais áreas da minha vida.
Etapas da relação:
1- Paixão: Recém havia saído de um casamento de 20 anos. O que me chamou a atenção e atraiu foi a forma carinhosa, atenciosa como eu e minha filha fomos tratadas. Num momento de extremadificuldade emocional.
2- Realidade: Com o tempo de convivência fui percebendo que as diferenças de comportamento e maturidade estavam cada vez mais visíveis. Mas apesar de tudo, gostava e gosto dele.
Quem sou eu: Objetiva, realista, tive uma infância difícil e desde cedo batalhei pelos meus objetivos. Trabalho, estudos, faculdade, casamento. Independente financeiramente. Tenho uma filha de 6 anos que precisa de boas referências para um crescimento saudável. Tenho objetivos seja profissionais ou pessoais.
Quem é ele (na minha opinião/e da família dele): Homem de 39 anos dependente emocionalmente e financeiramente da família (atualmente da irmã, pois sua mãe faleceu a 1 ano). Mora com a irmã, não tem condições de morar sozinho, ter seu auto-sustento (porque não quer). Trabalhou pouquíssimo na vida, tem 2 imóveis no qual aluga e vive da renda (não adquiriu por esforço próprio, ganhou de herança dos pais). Fez 2 faculdades pagas pelo pai e não concluiu nenhuma delas. Pensa somente no hoje, sem se preocupar no amanhã. Não tem objetivos seja pessoais ou profissionais. Tem TOC no sentido de tornar coisas simples do cotidiano em coisas massivas, cansativas.
Tenho a sensação de que me transformo em um TOC dele, onde me sufoca. Como não tem objetivos e preocupações, quer ocupar seu tempo exclusivamente comigo. Me sinto mais sufocada do que quando era casada.
3- Já terminei a relação algumas centenas de vezes e sempre volto. Boa pergunta, porquê? Me dou conta que não consigo viver sozinha. Meu histórico de sair cedo da casa dos pais e entrar num casamento, nunca me deram esta oportunidade. E com isso, entro num circulo vicioso no qual não consigo sair.
Resumindo: Nossas diferenças geram conflitos constantes, intensos, cansativos (sinto que perco energia). Os conflitos sempre são gerados pela minha insatisfação com seu comportamento (ou a falta dele). Ele sempre na defensiva, e hoje é perceptível que não haverá mudança por parte dele. Todos estes problemas que vejo nele, ele finge que não existem (é mais cômodo), ou seja, estou sofrendo por um problema que não é meu, e ele não está sofrendo, pois pra ele não é um problema.
Atualmente percebo que este relacionamento esta atrapalhando minha vida em todos os sentidos: emocional, saúde, trabalho, etc. Parece loucura, porque não consigo sair de uma relação que é muito claro que não agrega nada de bom pra minha vida?

RESPOSTA À LEITORA

De maneira nenhuma posso aconselhar a que rompa o seu relacionamento. No entanto, para ajudar a que possa ficar mais esclarecida e com isso facilitar o seu processo de decisão, apresento algumas dicas:
1. O que é o amor?
De forma simples, poderei dizer que o amor é um  sentimento amplo e arrebatador gerado em relação a outra pessoa, que as aproximas de forma íntima e significativa. Muito mais poderia ser dito. Na verdade cada um de nós tem a sua própria definição de amor, e a sua própria forma de amar e expressar-se no amor. Se perguntasse a dez pessoas o que para elas é o amor, certamente obteria dez resposta distintas.
Então, quando você percebe o que está na base do seu amor, tudo fica mais claro. Não basta dizer que ama e pronto. É porque se sente segura? Porque sente compreensão do parceiro? Porque se sente orgulhosa ao lado dessa pessoa? Porque essa pessoa é carinhosa e atenciosa? Porque é inteligente? Porque partilham interesses comuns? Porque a faz sentir-se nem na sua pele?
2. Não consigo viver sozinha
Certamente a ideia que tem de não conseguir viver sozinha é ilusória. Ou seja, no momento que conseguir decidir-se a fazê-lo certamente percebe que consegue. Não é uma questão de conseguir ou não conseguir, mas sim de decisão. De decidir que no momento é o melhor. Depois deverá especificar porque será melhor, e ter uma noção concreta dos benefícios associados à decisão e ao mesmo tempo pensar no que irá fazer nos momentos em que se sentir sozinha.
3. Não consigo abandonar a relação
Este problema está associado ao anterior. Mais uma vez a ideia “não consigo” é ilusória. Certamente as vezes que diz ter terminado e depois voltado, é porque essa era uma estratégia de tentativa de mostrar ao seu parceiro que o incómodo é grande. Mas esse breve terminar, funciona como uma tentativa de alerta, para que o parceiro mude algo e as coisas possam melhorar.
Acredito que se associar um conjunto de benefícios, ou coisas que irá conquistar com o término da relação, não terá mais caminho de volta. Tente associar ao fim do relacionamento um conjunto de reforços (coisas boas ou menos más) que ganhará com essa decisão.
4. Há mais de um potencial parceiro
Um mito popular sobre o amor é que não há uma alma gêmea para todos. A verdade é que há muitas almas gêmeas disponíveis para todos nós. Cada um vai trazer novas experiências, e cada um vai nos preparar para o próximo relacionamento. Cada experiência falhada irá ajudar a saber o que nós não queremos em um relacionamento. Se você mantiver essas coisas em mente, será capaz de terminar mais fácil com o que você tem agora. Há esperança de encontrar alguém que possa lhe fornecer o que você precisa, e você por sua vez, pode fazer o mesmo para essa pessoa.
5. Fim de contato
Certifique-se que, depois de terminar, você não continua mantendo contato. Além disso, como você certamente vai sentir falta dele, lembre-se em primeiro lugar, por que você rompeu com ele. Pode manter as boas lembranças, mas igualmente recordar-se das razões que conduziram até à decisão de terminar. E, sobretudo não pense sobre como poderia ter sido se as coisas corressem bem.
6. A dor emocional não dura para sempre
Outro mito sobre o fim das relações é que a dor tem que continuar por semanas ou meses. Você vai ficar triste depois da decisão, porque nesse momento de certa forma você ainda gosta dele, e não o que magoar.
No entanto, essa tristeza não irá durar para sempre. Sinta a sua tristeza e decepção não não se resuma a isso. perceba que esse é um momento difícil que pouco a pouco irá passar. Engaje-se em alguma atividade, como exercício físico, leia o jornal, chore, mas não fique presa no passado. Não oiça músicas tristes ou assista a filmes tristes. Evite lugares onde ele possa conviver, pois isso só vai piorar as coisas.

SEGUIR EM FRENTE

Estas são maneiras de realizar o seu objetivo, e então você pode começar a seguir em frente e viver a sua vida. Não há nenhuma razão concreta para você se sentir mal por um longo período de tempo.
Você já usou algumas destas dicas para romper com alguém que você ainda ama? Achou as dicas úteis? Por favor, compartilhe nos comentários abaixo.
Abraço,
Miguel Lucas
Fonte:http://www.escolapsicologia.com/estou-emocionalmente-presa-numa-relacao-toxica-o-que-posso-fazer/

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Amostras Gratis da Caudalie e da L´Oréal

1- Caudalie está a oferecer amostras grátis do seu novo creme de sorvete hidratante:
Têm de preencher um formulário com os seus dados, e depois receberá um voucher para levantar gratuitamente a sua amostra grátis de creme Caudalie em qualquer ponto de venda aderente. Clica no seguinte link para pedir a sua. Já pedi a minha :)

 2- Nova amostra L'ORÉAL grátis :
Têm de preencher um formulário com os seus dados e depois enviam para casa. Clica no seguinte link para pedir a sua. Já pedi a minha :)

9 Estratégias psicológicas para superar a depressão

Por Miguel Lucas 

Os altos e baixos normais da vida levam a que todos nós possamos sentir-nos tristes e abatidos de tempos em tempos. Mas se o vazio e desespero tomaram conta de sua vida e provocam mal-estar durante um período prolongado, você pode ter depressão. Independentemente do quão desesperado você se sente, a melhoria é possível. Uma das primeiras linhas de intervenção do tratamento da depressão é a medicação, mas não se deve ignorar as intervenções psicológicas para combater a depressão e prevenir a reincidência.
Em seguida apresento nove ideias psicológicas e naturais para obter alívio da depressão. No final, elas podem revelar-se altamente eficazes na superação da depressão, e na redução do risco de recaída.

1. A depressão é um problema universal, um estado indesejável mas normalmente corrigível


A depressão tem uma longa história. Você pode encontrar exemplos de depressão nos antigos escritos hieróglifos egípcios. Algumas das soluções egípcios incluíam viagens e dança. Hipócrates, o pai grego antigo da medicina, prescrevia dieta e exercício físico como uma primeira linha de defesa contra a depressão. Ambos, os egípcios e os gregos antigos eram tolerantes com as pessoas com depressão.
A depressão por vezes é mal vista pela perspectiva de quem não a tem. A própria pessoa que sofre com a depressão, na grande maioria das vezes desenvolve uma visão negativa de si mesmo, provavelmente pelo fato de socialmente existir um estigma associado à problemática.
Importa mudar a sua perspectiva e aceitar a depressão por aquilo que ela é. Um transtorno psicológico temporário, normal de acontecer, que é possível de ser melhorado.

2. A depressão não é algo que se deva ignorar….como se você pudesse


A depressão é diferente de um dia menos bom ou tristeza. Marcado por um humor muito diminuído e duradouro, a depressão vem acompanhada de pensamentos depressivos, fadiga, problemas de sono e por vezes alguns sintomas médicos inexplicáveis. Se for suficientemente grave, a depressão pode ter um efeito devastador sobre a qualidade geral da sua vida. Mas não tem necessariamente de ser assim. Importa obter um bom diagnóstico para o tipo de depressão que você está enfrentando e igualmente identificar maneiras de abordar as particularidades distintas da natureza desse tipo de depressão.

3. A depressão é uma condição tratável


Em primeiro lugar, a melhoria é normalmente um subproduto da tomada de ações corretivas. No entanto, um impedimento principal para superar a depressão são os sintomas da própria depressão. A pessoa que sofre tem de ser paciente com o seu ritmo de melhoria.
Na minha prática profissional tendo vindo a verificar que as expectativas ilusórias de uma melhoria rápida, são na verdade o que mais desânimo trás às pessoas que sofrem com a depressão. Ou seja, quando alguém inicia uma terapia psicológica, fica na expectativa de que nos primeiros dias que sucedem o inicio do tratamento, se sinta melhor. Sendo que a percepção de “melhor” é ficar a sentir-se como se sentia antes de ter depressão. E isso não é possível.
O que é possível, é a pessoa melhorar pouco a pouco à medida que vai aplicando um conjunto de atividades e formas de pensar, que no seu retorno a fazem sentir-se melhor. A explicação de como funciona a melhoria, clarificar alguns dos obstáculos à melhoria, e apresentar uma perspectiva temporal de melhoria à pessoa que sofre com a depressão já fazem parte do próprio programa terapêutico.

4. Se você não fosse vulnerável ​​à depressão, você não a teria


Mesmo com uma vulnerabilidade menor do que a média para a depressão, acontecimentos graves podem despoletá-la. Culpar a você mesmo por esta vulnerabilidade faz tanto sentido como culpar a si mesmo por uma perna quebrada, esclerose múltipla ou problemas renais.
Embora esta vulnerabilidade não seja culpa sua, é sua a responsabilidade de agir para ficar melhor. Pondere uma abordagem de não-julgamento sobre você mesmo, certamente ajuda a diminuir o estigma e a colocá-lo numa posição não vitimizante.

5. Você não é os seus pensamentos e sentimentos depressivos


Num estado de espírito deprimido, você fica suscetível a ruminar em pensamentos negativos acerca de quão mal se sente e sobre as condições negativas que contribuem para a sua depressão. Esta é uma fórmula para fazer uma situação ruim ficar ainda pior. Ao apanhar a si mesmo nesta linha de pensamento, você fica em uma posição para fazer uma mudança positiva em direção à auto-observação objetiva. Este exercício permite-lhe pensar racionalmente sobre o seu próprio pensamento e sentimentos depressivos separados de si mesmo.

6. Pensamentos depressivos têm assinaturas cognitivas reconhecíveis


Pensamentos de desamparado, sem esperança, sem valor, são comuns de passarem na cabeça da pessoa deprimida. Este tipo de pensamentos são conhecidos por distorções cognitivas ou distorções do pensamento. Em terapia a pessoa é ensinada a identificar e monitorizar as suas distorções cognitivas, a separar-se delas e em seguida substitui-las por formas mais assertivas de raciocínio.
Reconhecer e corrigir o pensamento depressivo é um “remédio” à base de evidências para a depressão. Este método é utilizado na Terapia Cognitivo-comportamental, a qual eu pratico com os meus pacientes que sofrem de depressão.

7. Tolerância ao humor diminuído e sensações dolorosas


Você pode catastrofizar sobre o quão se sente horrível. Esta catastrofização do problema num problema grave aumenta o seu índice de miséria. Aceite o seu humor deprimido pelo que ele é, um humor deprimido. A tolerância e aceitação de um humor deprimido pode trazer algum conforto em comparação com o foco na angústia e desesperança.
Mas como pode você tolerar toda a negatividade que está sentindo? Talvez da mesma forma que você tolera quando está a sentir-se doente com a gripe. Você pode dizer que o sentimento depressivo é o que é. A depressão dura mais tempo do que a gripe, mas não dura para sempre. Ele tem um começo, meio e fim.
Para aprofundar este assunto, leia: Como aceitar e desapegar-se da dor emocional

8. Vencer a inércia agindo irá renovar a sua força


O tipo de atividade que realiza faz a diferença na melhoria. Isolar-se é uma atividade. Esta atividade não recomendada ajuda a manter a depressão. Na verdade, a maioria das pessoas com depressão ficam muito motivadas para não fazerem nada. Ao invés, envolva-se em ações comportamentais benéficas, tais como o exercício físico, jardinagem, caminhadas, pintura, bricolage, entre outras.
Um cronograma de atividades simples de praticar pode ser surpreendentemente eficaz. Você pode agendar atividades diárias normais para fazer que estejam ao seu alcance. Estou certo que no final das suas atividades programadas irá sentir-se recompensado na forma de realização pessoal e sentimentos positivos.

9. Mesmo deprimido invista nos seus relacionamentos


Você pode sentir-se tão imerso em si mesmo que deixa de preocupar-se com os seus relacionamentos. No entanto, é aconselhável estar atento aos seus relacionamentos. Evite reclamar por tudo e por nada. Evite ser hostil, só porque acha que o seu problema é o maior problema do mundo e que tem razões para dizer o que lhe vem à cabeça. Lembre-se da empatia que você já teve com os outros, e comporte-se de acordo com isso.
Faça um esforço especial para evitar comprometer os seus relacionamentos. Se alguém lhe disser, “tens de superar isso“, processe esse comentário como sendo proveniente do desconhecimento acerca da severidade da depressão. Através das suas ações, demonstre que você está tomando medidas para melhorar.

Reflexão
Por último deixo-lhe duas questões a considerar. Se você tivesse, ou se você pudesse adquirir, ferramentas psicológicas para superar a depressão, e para prevenir a depressão de voltar, você estaria disposto a experimentá-las? A outra questão é: Que atividades prazerosas você acha que pode realizar que possam trazer-lhe retorno satisfatório?
Se responder sim à primeira pergunta, e tiver em mente algumas opções para a segunda, você pode ser um candidato para colocar a sua melhoria nas suas mãos. Nessa busca e nessa vontade de melhoria, você terá ainda mais eficácia usando abordagens baseadas em evidências cientificas para superar a depressão.
A abordagem psicológica pró-ativa é uma vantagem na superação da depressão. Isso pode ser surpreendentemente eficaz para quem não tem obtido as melhorias desejadas com outras formas diferentes de tratamento.
Para obter mais informações sobre as formas psicológicas pró-ativas para superar a depressão, clique nos links que se seguem:

terça-feira, 17 de maio de 2016

How to Start a Meditation Practice


You have probably heard that meditation is great for stress reduction, increasing self-awareness, and supporting a healthy lifestyle. In our busy lives, meditation can easily feel like one more activity we need to add to our lengthy to-do lists. After all, how can we possibly have time to sit still when we have so much going on? We start to question: Can meditation really work for me?

If you have been thinking that meditation might help you, chances are it will. Meditation is becoming much more mainstream and many celebrities, businesswomen, and educators are sharing the benefits of taking time to center themselves each day and slow down the mind.

“THE ONE THING I WANT TO DO IS CENTER MYSELF EVERY DAY AND MAKE THAT A PRACTICE FOR MYSELF. BECAUSE I'M 1,000 PERCENT BETTER WHEN I DO THAT." -OPRAH

What is meditation?
By definition, meditation is a mental training that helps us tune into the present moment while moving beyond our habitual thoughts and patterns. Over time, we become aware of our true nature and feel a deep sense of peace. In many Eastern traditions, our ‘true nature’ is often described as love.

There are many different types of meditation and most of them have an element of quietness, limited distraction, specific postures (sitting, lying down, even walking) and a focused attention on the breath, a phrase (or mantra), or visual image. Many practices encourage keeping a neutral mind, staying away from judging feelings or thoughts that surface during the practice.

Current research is proving what ancient mystics have known for thousands of years. When we learn to pay attention to each moment we become more open, kind, grounded and able to handle any situation life hands us. Meditation is all about coming home to ourselves, surrendering to each moment with grace, and recognizing more of who we really are.

Despite how the media portrays meditation, it has very little to do with sitting cross legged on a hillside with our eyes closed, and very much to do with learning to be present in all areas of our life. Here’s the beauty of it all: starting a meditation practice can be very simple. With just a few small adjustments to your daily routine, you can build a foundation that you can count on for the rest of your life. Read on to learn four simple steps for starting a practice.

You Have The Time
We’re all busy and it often seems like we have no time to see our close girlfriends, let alone meditate. The reality is that every choice we make during a day is a reflection of what we give the most energy to in our lives. When we overwork ourselves at our jobs (at the expense of our well being) we’re giving our energy to our careers, finances, or our bosses. When we ruminate about a conversation we had with our partners we give our energy to a belief that we can control our relationships. The old saying goes, ‘where awareness goes, energy flows.'

What if for just a few minutes each day, you chose to give your energy to yourself? The truth is that when we slow down and take care of ourselves we have much more to offer each other. From that perspective, commit to taking five minutes each morning to cultivate a meditation practice. You have the time—it’s simply a matter of prioritizing and trusting that conditions will improve once you decide to meditate.

Start Where You Are
There is so much information on starting a meditation practice, that it may cause you to feel anxious—it’s normal in the beginning to worry if you are doing it right. Here are some basic suggestions to help ease your mind and get you practicing:


Sit quietly in a chair or on the floor where you feel comfortable and with as few distractions as possible.
Set a timer for 5 minutes.
Place your attention on your breath and breathe slowly in and out of your nose.
Each time you become aware of your thoughts, bring your attention back to your breath.
When the timer goes off close your practice by thinking of one thing you are grateful for.
Repeat this practice 2-3 times a week and gradually build to a daily practice.

When you miss a day or days or even weeks, don’t beat yourself up. Simply start where you are and begin again.

"IT FEELS GOOD. KINDA LIKE WHEN YOU HAVE TO SHUT YOUR COMPUTER DOWN; JUST SOMETIMES WHEN IT GOES CRAZY, YOU JUST SHUT IT DOWN, AND WHEN YOU TURN IT ON, IT'S OK AGAIN. THAT'S WHAT MEDITATION IS FOR ME." - ELLEN DEGENERES

Take it Slow
Like learning any new skill, it takes time to develop a meditation practice. You wouldn’t sit down in front of a piano and expect to be able to play a beautiful piece of music upon your first try. You would likely start by learning a few notes and playing scales for a while before you took on your first full piece of music. Meditation is the same way: It’s always best to start slow and build gradually. There is no rush to the finish line because our internal work is never complete. Each time you practice you are putting a deposit in your meditation bank that will eventually benefit you in ways beyond the imaginable.

Keep Practicing
Once you get into your practice stick with it. The greatest benefits come from dedicated practice over time. Think of meditation as a way to check in with yourself each day, like your own mental exercise program. Our bodies have much more energy and health when we work out regularly. The same is true with our minds. Consistent meditation practice builds mental clarity, boosts energy, and stabilizes emotions. Just think about how much you can accomplish from a regular practice!

Above all meditation teaches us how to just be in each moment. From the most humble beginnings we discover more of who we are, one breath at a time. Meditation teaches us how to live with authenticity, generosity, radical kindness, mindfulness, and true purpose.

Instead of making meditation one more task on our to-do list, meditation can be the key to unlock our true potential. By taking just a few minutes each day to come back to your center you will have more energy to do the things that matter to you the most.

Inspired to meditate? We would love to know how it goes! Keep us in the loop by leaving a comment below.

Source: http://theeverygirl.com/how-to-start-a-meditation-practice


domingo, 15 de maio de 2016

Health Benefits of Himalayan Salt Lamps


Available in several shapes and sizes and emitting beautiful, rich colors, a Himalayan Salt Lamp not only looks warm and welcoming, but it has beneficial health properties.
Did you know that a Himalayan Salt Lamp in your home or office naturally improves your indoor air quality by creating healthy negative ions?


How do Salt Crystal Lamps Work?

Salt lamps emit negative ions.
The bulb inside of the lamp heats the crystal and supports the ionizing effect. Salt itself is hygroscopic and attracts the water from the surroundings. You can often see that the lamp is damp or even wet, especially in more humid environments. Due to the gentle heat of the lamp, the water quickly evaporates and during the evaporation process the beneficial negative ions get created. They go on to bind with excessive positive ions (bacteria, molds and allergens all carry a positive charge) and neutralize the electronic smog in your home.
Moreover, the lamp is a very pure source of light and its multi-colored glow has a soothing effect and relaxes you.
Scientifically speaking, the Himalayan salt lamp achieves the following things:
1.       It ionizes the room.
2.       It balances artificial frequencies and unnatural electromagnetic wavelengths that originate from electronic appliances.
3.       It produces the light waves of the rainbow spectrum which protect your body.


Health Benefits of Himalayan Salt Lamps

People using salt lamps report improvement in their physical and mental well-being soon after starting to light them. They are said to help with:
§ respiratory problems (including colds)
§ allergies
§ skin conditions
§ mental and stress-related disorders (including insomnia)
§ headaches and migraines.
§ rheumatism
§ blood system disorders.
Due to their calming colors (different shades of orange and pink), they have also been used in color therapy to help treat neurotic disorders and sleeplessness.
Himalayan-rock-salt-lamp171

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Compras na Circulo Bio



O Círculo Bio é um projecto familiar que nasceu da nossa vontade de criar novas possibilidade e opções para quem pretende adoptar um estilo de vida mais saudável e ecologicamente sustentável. Selecionamos um conjunto de produtos com ingredientes naturais e biológicos certificados!
Os nossos produtos são certificados pela Soil Association (Reino Unido), United States Department of Agriculture’s - USDA (EUA),Organic Food Chain (Austrália), Ecocert (França), Cosmebio (França), entre outros, o que lhe permite identificar se está perante um produto cujos ingredientes são de facto biológicos e naturais. A certificação das organizações acima enumeradas oferece-lhe as seguintes garantias:
Não possuem ingredientes geneticamente modificados;
Elevada percentagem de ingredientes naturais;
Processamento mínimo dos ingredientes;
Os processos de fabrico não são poluentes e o consumo de energia é baixo;
As embalagens são recicláveis.






   O difusor Ocelia alia a tecnologia ultrasónica ao design moderno permitindo-lhe criar um
   ambiente agradável. Este difusor emite um vapor frio criado por vibrações ultrasónicas 
   que difunde os óleos essenciais e humedifica o ar. Ao libertar as moléculas aromáticas 
   sem as aquecer, preserva as suas propriedades. Para maior tranquilidade, este difusor 
   desliga-se automaticamente caso o nível de água esteja muito baixo.
   O difusor Ocelia tem uma luz suave que muda de cor, combinando os benefícios da 
   aromaterapia com os da cromoterapia. Este difusor permite-lhe utilizar a luz com uma 
   única cor fixa (em vez do efeito troca de cores).
   Vídeo sobre como utilizar este difusor aqui.
   Recomenda-se a utilização de água da torneira. Não utilizar água destilada. 
   Antes de encher o depósito de água e adicionar o óleo essencial, certifique-se que 
   o difusor está desligado. Encha o depósito de água sem exceder a marca que representa 
   o nível máximo de água. Limpe o difusor a cada 3 dias.
   Coloquei o difusor no meu quarto para poder usufruir da cromoterapia e aromaterapia 
   quando estou a ler os meus livros ou a meditar. O design é lindíssimo, estou
   completamente rendida.



Um creme de dia luxuriante, de textura leve e rápida absorção, que deixa a sua pele macia e aveludada. Para complementar as propriedades suavizantes e anti-envelhecimento da rosa, foram adicionados outros ingredientes:
Manteiga de karitê profundamente hidratante,
Óleo de jojoba e de côco - não refinados e prensados a frio, para manterem intactas as Vitaminas antioxidantes A e E,
Folha de Aloe Vera para restaurar a saúde até nas camadas mais baixas da pele,
Espinheiro-amarelo que tem um componente vital para a pele - ácido Palmitoleico - para ajudar a contrariar os efeitos de envelhecimento e destruição de colagénio provocados pelos radicais livres e pela luz do Sol.
Com 3 extractos preciosos de rosa biológica, o Hidratante de Rosas da Odylique não só tem um aroma requintado, mas é também maravilhosamente hidratante e tonificante.
O Hidratante de Rosas é livre de aditivos artificiais e Certificado Biológico pela rígida Soil Association. É um creme tão versátil que deixa todos os tipos de pele macios como veludo e tonificados. Pode ser também usado como creme para o contorno dos olhos, ajudando visivelmente a diminuir linhas finas nesta zona.

Este hidratante tem uma textura ligeira que é rapidamente absorvido pela pele sem deixa-la oleosa, ideal para peles mistas e suave respeitando as peles mais sensíveis. Tem um cheiro composto por uma mistura de rosas com os óleos de   jojoba, coco e manteiga de karité, bastante agradável.
Ingredientes: água, hidrolato de rosa bio, óleo de jojoba bio, óleo de coco bio, anteiga de karité bio e de comércio justo, óleo de girassol bio, glicerina (origem vegetal), álcool cetearílico (de origem vegetal; agente estabilizador), extracto de espinheiro-amarelo bio, cetearil glicosídeo (emulsionante de origem vegetal), aloe vera bio, extracto de rosa mosqueta bio, extracto de alecrim bio, óleo essencial de gerânio e de rosa bio, ácido láctico (obtido a partir da fermentação natural dos açúcares de plantas; hidrata e ajuda a manter a camada protectora da pele), anisato sódio (de origem vegetal, com efeito calmante para a pele inflamada, ajuda a manter o equilibrio da pele), levulinato de sódio, lauroil lactilato de sódio (emulsionante derivado do ácido láctico e dos ácidos gordos do óleo de coco; hidratante; ajuda a absorção dos ingredientes activos), goma xantana (agente espessante), geraniol e eugenol (naturalmente presentes nos óleos essenciais)

Já conheciam este site online?

xoxo
LN




quarta-feira, 11 de maio de 2016

terça-feira, 10 de maio de 2016

Meditation for Beginners: 20 Practical Tips for Understanding the Mind

BY LEO BABAUTA

The most important habit I’ve formed in the last 10 years of forming habits is meditation. Hands down, bar none.
Meditation has helped me to form all my other habits, it’s helped me to become more peaceful, more focused, less worried about discomfort, more appreciative and attentive to everything in my life. I’m far from perfect, but it has helped me come a long way.
Probably most importantly, it has helped me understand my own mind. Before I started meditating, I never thought about what was going on inside my head — it would just happen, and I would follow its commands like an automaton. These days, all of that still happens, but more and more, I am aware of what’s going on. I can make a choice about whether to follow the commands. I understand myself better (not completely, but better), and that has given me increased flexibility and freedom.
So … I highly recommend this habit. And while I’m not saying it’s easy, you can start small and get better and better as you practice. Don’t expect to be good at first — that’s why it’s called “practice”!
These tips aren’t aimed at helping you to become an expert … they should help you get started and keep going. You don’t have to implement them all at once — try a few, come back to this article, try one or two more.
  1. Sit for just two minutes. This will seem ridiculously easy, to just meditate for two minutes. That’s perfect. Start with just two minutes a day for a week. If that goes well, increase by another two minutes and do that for a week. If all goes well, by increasing just a little at a time, you’ll be meditating for 10 minutes a day in the 2nd month, which is amazing! But start small first.
  2. Do it first thing each morning. It’s easy to say, “I’ll meditate every day,” but then forget to do it. Instead, set a reminder for every morning when you get up, and put a note that says “meditate” somewhere where you’ll see it.
  3. Don’t get caught up in the how — just do. Most people worry about where to sit, how to sit, what cushion to use … this is all nice, but it’s not that important to get started. Start just by sitting on a chair, or on your couch. Or on your bed. If you’re comfortable on the ground, sit cross-legged. It’s just for two minutes at first anyway, so just sit. Later you can worry about optimizing it so you’ll be comfortable for longer, but in the beginning it doesn’t matter much, just sit somewhere quiet and comfortable.
  4. Check in with how you’re feeling. As you first settle into your meditation session, simply check to see how you’re feeling. How does your body feel? What is the quality of your mind? Busy? Tired? Anxious? See whatever you’re bringing to this meditation session as completely OK.
  5. Count your breaths. Now that you’re settled in, turn your attention to your breath. Just place the attention on your breath as it comes in, and follow it through your nose all the way down to your lungs. Try counting “one” as you take in the first breath, then “two” as you breathe out. Repeat this to the count of 10, then start again at one.
  6. Come back when you wander. Your mind will wander. This is an almost absolute certainty. There’s no problem with that. When you notice your mind wandering, smile, and simply gently return to your breath. Count “one” again, and start over. You might feel a little frustration, but it’s perfectly OK to not stay focused, we all do it. This is the practice, and you won’t be good at it for a little while.
  7. Develop a loving attitude. When you notice thoughts and feelings arising during meditation, as they will, look at them with a friendly attitude. See them as friends, not intruders or enemies. They are a part of you, though not all of you. Be friendly and not harsh.
  8. Don’t worry too much that you’re doing it wrong. You will worry you’re doing it wrong. That’s OK, we all do. You’re not doing it wrong. There’s no perfect way to do it, just be happy you’re doing it.
  9. Don’t worry about clearing the mind. Lots of people think meditation is about clearing your mind, or stopping all thoughts. It’s not. This can sometimes happen, but it’s not the “goal” of meditation. If you have thoughts, that’s normal. We all do. Our brains are thought factories, and we can’t just shut them down. Instead, just try to practice focusing your attention, and practice some more when your mind wanders.
  10. Stay with whatever arises. When thoughts or feelings arise, and they will, you might try staying with them awhile. Yes, I know I said to return to the breath, but after you practice that for a week, you might also try staying with a thought or feeling that arises. We tend to want to avoid feelings like frustration, anger, anxiety … but an amazingly useful meditation practice is to stay with the feeling for awhile. Just stay, and be curious.
  11. Get to know yourself. This practice isn’t just about focusing your attention, it’s about learning how your mind works. What’s going on inside there? It’s murky, but by watching your mind wander, get frustrated, avoid difficult feelings … you can start to understand yourself.
  12. Become friends with yourself. As you get to know yourself, do it with a friendly attitude instead of one of criticism. You’re getting to know a friend. Smile and give yourself love.
  13. Do a body scan. Another thing you can do, once you become a little better at following your breath, is focus your attention on one body part at a time. Start at the soles of your feet — how do those feel? Slowly move to your toes, the tops of your feet, your ankles, all the way to the top of your head.
  14. Notice the light, sounds, energy. Another place to put your attention, again, after you’ve practice with your breath for at least a week, is the light all around you. Just keep your eyes on one spot, and notice the light in the room you’re in. Another day, just focus on noticing sounds. Another day, try to notice the energy in the room all around you (including light and sounds).
  15. Really commit yourself. Don’t just say, “Sure, I’ll try this for a couple days.” Really commit yourself to this. In your mind, be locked in, for at least a month.
  16. You can do it anywhere. If you’re traveling or something comes up in the morning, you can do meditation in your office. In the park. During your commute. As you walk somewhere. Sitting meditation is the best place to start, but in truth, you’re practicing for this kind of mindfulness in your entire life.
  17. Follow guided meditation. If it helps, you can try following guided meditations to start with. My wife is using Tara Brach’s guided meditations, and she finds them very helpful.
  18. Check in with friends. While I like meditating alone, you can do it with your spouse or child or a friend. Or just make a commitment with a friend to check in every morning after meditation. It might help you stick with it for longer.
  19. Find a community. Even better, find a community of people who are meditating and join them. This might be a Zen or Tibetan community near you (for example), where you go and meditate with them. Or find an online group and check in with them and ask questions, get support, encourage others. My Sea Change Program has a community like that.
  20. Smile when you’re done. When you’re finished with your two minutes, smile. Be grateful that you had this time to yourself, that you stuck with your commitment, that you showed yourself that you’re trustworthy, where you took the time to get to know yourself and make friends with yourself. That’s an amazing two minutes of your life.
Meditation isn’t always easy or even peaceful. But it has truly amazing benefits, and you can start today, and continue for the rest of your life.